CÂMARA NOVA ENSEMBLE

CÂMARA NOVA ENSEMBLE

Lisboa | PT


fundador | diretor artístico | RODRIGO B. CAMACHO

produtor | DIOGO CASTRO

agente de publicidade | MARIANA CAMACHO


O CNE (Câmara Nova Ensemble) é antes de mais um lugar. Um lugar arrojado, possivelmente até violento por vezes, contudo ideal para a experimentação extrema em música e arte performativa. É composto por um grupo jovem e altamente talentoso de performers e designers de performance, que não só acreditam que identidade é algo urgente, eles vivem-no como se não houvesse outra coisa a fazer! Conceitos são para eles da maior importância e rigor supremo ao se pensar, trabalhar e comunicar ideias é simplesmente aquilo que o grupo respira!


O CNE SOBRE NOVA MÚSICA

O que é nova música? Música feita hoje? E quando passa a ser “velha” ou deixa de ser “assim tão nova” se datação for a única ferramenta para a sua definição? Designa, ou não, o termo “nova” alguma qualidade estilística nas práticas criativas de hoje? Tem um domínio estético? É ou não este termo isento de visões sociológicas e políticas?

Esta nova música ainda não se definiu, ou melhor, tentaram defini-la dezenas de maneiras vezes, e tentaram fazê-lo de forma absoluta, progressiva e ontológica, o que nunca gerou uma concordante visão global sobre o tema.

A nova música conta com o apoio em campanha feroz mas também com a “punhalada nas costas” do ainda vivo Mathias Spahlinger e a sua legião de discípulos (com sucesso bem ensinados na escola de Freiburg) a querer defini-la positivamente, na tentativa de se criar com convicção uma nova escola, um perpétuo novo movimento; prevendo que crescerá, terá os seus seguidores e eventualmente será ultrapassado ou morrerá mesmo com o peso do credo.

Hoje a esmagadora maioria dos participantes nos campos da música contemporânea não vive a questão “o que é nova música” deste modo. Continua-se muito vastamente, e precisamente pelo contrário, a definir-se negativamente a nova música como algo que nega o que é já datado ou considerado explorado o suficiente. Muito já se ouviu (e com isso perigosamente se concorda em conforto) que “a nova música é atonal”, que “a nova é amétrica” ou “atemática”…

Sem a intenção de de forma metonímica definir-se toda a prática criativa musical hoje, o CNE (CÂMARA NOVA ENSEMBLE) foi criado a partir da necessidade de se descobrir uma das milhares de possíveis verdades sobre fazer música e arte performativa hoje, num lugar, entre um grupo determinado de pessoas.